Jatene sacramenta apoio dos tucanos a Márcio Miranda (DEM) para a disputa ao governo

Tucanos e Democratas do Pará fizeram na noite desta quinta-feira, 7 de junho, uma grande festa para sacramentar a aliança em torno do deputado estadual Márcio Miranda (DEM) na disputa ao governo do Pará. O lançamento da pré-candidatura reuniu 59 prefeitos, deputados dos dois partidos e também quatro pré-candidatos ao Senado, Flexa Ribeiro, Sidney Rosa, o coronel Osmar Nascimento (PDT) e Ibanês Taveira. “Tem pra todo gosto. Pode escolher dois”, disse ao apresentar os candidatos.

Ao apresentar Miranda, Jatene mirou no adversário Helder Barbalho do MDB. Sem citar nomes conclamou os eleitores a compararem Barbalho com Miranda. “Um é policial, defendendo a vida e a segurança e é médico. O outro nunca trabalhou. Política não é profissão, é opção de vida”, disse. “O nome do Márcio Miranda não está metido em lava-jato, lava aquilo, lava aquilo outro”.   

A menção à  Lava Jato não foi por acaso. O pré-candidato do MDB Helder Barbalho é investigado por suspeita de ter recebido, da Odebrecht, R$ 1,5 milhão não contabilizado (caixa 2) durante sua campanha ao governo do Pará em 2014. Helder nega ter usado dinheiro não contabilizado.

Antevendo as críticas que Miranda poderá sofrer ao longo da campanha afirmou: “sei que vão dizer que você é ligado ao Jatene, mas quero dizer que você tem compromisso com meus acertos, não com meus erros. Tenho que reconhecer que, se tive acertos, também tive erros. Não sou hipócrita de não reconhecer que também errei”.

Afinado com Jatene, Márcio Miranda também citou a Lava jato deixando antever um dos temas que deve dominar o debate eleitoral deste ano. Ao final,  afirmou não ter medo de confronto e disse estar preparado para governador o Pará.  “Só de estar aqui representando este grupo político com tanta gente honrada, valeu a pena a minha vida. Eu vou dizer igual ao Zagalo: vão ter que me engolir”.

Comentários